A capoeira como forma de inclusão

Saiba como a capoeira pode contribuir no desenvolvimento de pessoas com T21.

Como muitos já sabem, a Síndrome de Down acontece por alterações cromossômicas envolvendo o par do cromossomo 21 que se apresenta em trissomia, por isso é também chamada de T21, o que ocasiona alterações físicas, mentais e as tornam mais suscetíveis a certos problemas de saúde, como malformações cardíacas e do trato gastrointestinal.

Nós já falamos por aqui sobre atividades que podem ser feitas e estímulos para desenvolvimento de pessoas com SD, como fisioterapia, fonoaudiologia e atividades físicas. Dentre tantas atividades e esportes que colaboram para o desenvolvimento psicomotor de pessoas com T21, encontramos a capoeira.

A capoeira envolve uma sabedoria ancestral, é a natureza, a cultura brasileira, o toque híbrido com movimento e o mais importante: ela é para todos e todas.

Capoeira e Inclusão

Projeto Ginga une capoeira e inclusão.
Imagem retirada do site da Prefeitura de Salvador.

Segundo Marianne Vieira de Castro e Fabiana Cury Viana (2018), a capoeira é considerada um importante recurso a ser utilizado pois desenvolve força, melhora o tônus muscular, permite maior agilidade, flexibilidade e ampliação dos movimentos, além de ser uma atividade cardiovascular.

Dessa forma, a atividade pode ser apresentada de várias formas oferecendo ao praticante escolher dentre as várias linhas de sua abundante fonte de recursos como dança, esporte, luta, cultura, jogo e música.

Um exemplo dessa inclusão na prática é o Projeto Ginga De Peito Aberto II, que atende crianças e jovens com autismo, Síndrome de Down ou paralisia cerebral. A iniciativa beneficia 450 crianças e jovens com aulas gratuitas de capoeira em Salvador.

No canal Capoeira Inclusiva, Josimar Araújo disponibiliza informações, conteúdos e aulas de capoeira focadas na acessibilidade cultural e desenvolvimento humano. Conhecido como Instrutor Vermelho e integrante do Abadá Capoeira, Josimar transforma o toque do berimbal e o movimento corporal em integração.

Por fim, a capoeira se torna um estímulo enriquecedor para a T21 e possibilita alcançar novos mecanismos de acessibilidade no âmbito social, afetivo, cultural e físico.

Referências:

O texto foi escrito com a contribuição da Melissa Martins, mestranda em Tecnologias Emergentes em Educação e Mestre Kiko da Associação de Capoeira Corpo e Alma de Juiz de Fora.

https://www.youtube.com/watch?v=jjtFJWrT8nc
Castro, M. V. de, & Viana, F. C. (2018). A CONTRIBUICAO DA CAPOEIRA NO DESENVOLVIMENTO PSICOMOTOR PARA INDIVIDUOS COM SINDROME DE DOWN.
http://depeitoaberto.com.br/index.php/projeto-ginga/
http://educacao.salvador.ba.gov.br/inclusao-projeto-de-capoeira-atende-criancas-com-deficiencias-intelectuais-e-multiplas-em-escolas-municipais/


Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

1 Comentário

    Ótima matéria, parabéns!

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Font Resize