08/03 – Dia Internacional da Mulher

O Dia Internacional da Mulher foi oficializado pela ONU em 1975. Entre os fatos históricos que inspiraram essa decisão, o que todos têm em comum é que partiram da necessidade das mulheres de exigirem por mais direitos. Algumas dessas demandas eram direito ao voto e permissão para ser uma candidata política, direitos trabalhistas, direito à informação e a educação e direito à escolha do que fazer com o seu corpo. 

Por isso, o que fica de lembrete da história do mundo é que o dia oito de março não é só um dia sobre parabenizar mulheres por serem mulheres. Como também é um marco em relação aos direitos conquistados e uma lembrança do que ainda falta para ser ajustado. Baseado nisso, o texto de hoje é uma homenagem às mulheres com Síndrome de Down e a tudo que elas representam. 

1) A mulher com Síndrome de Down tem direito de ser vista como MULHER e não como um ser à parte, que não tem sentimentos românticos.

@cacaibauer O carnaval e suas surpresas 🎉❤️”

2)A mulher com Síndrome de Down pode conquistar independência!

@sassaquadrado.t21 “Bom dia meus amores!✨.

Como já falei algumas vezes aqui, estou morando no Rio de Janeiro há dois anos.

Quando vim morar aqui, minha mãe me ajudou bastante. Fez contato com algumas pessoas que moravam aqui para me ajudarem, uma delas foi a Vera Mattos, autora do livre Desenvolvimento Infantil.

Também conhecemos a Marilza, responsável por um grupo de apoio na Barra.

Também conheci a @flavia.fabres que é responsável pelo @sorrindo_rj, ela me ajuda muito até hoje. Sou muito grata pela ajuda de todos, pois a mudança não foi muito fácil, mas sigo aqui bem feliz.”

3) A mulher com Síndrome de Down tem profissão.

@menudaluiza “Amanhã tem trufas da Luiza no @chefsespeciaiscafe. Tradicional e sensação hummmm |@chefs_especiais @3coracoes

4) Ela tem voz e fala por si! Ela dá palestras e escreve colunas. 

@tathipiancastelli#Tbt do dia que fui entrevistada em um tapete vermelho em Los Angeles”

5) Lidera movimentos e é um símbolo de beleza.

@majudearaujo “(…)Eu venho, através do meu trabalho, pedindo pela inclusão como um ato de cidadania e felizmente não precisei gritar pra que a minha voz fosse ouvida porque existem pessoas extraordinárias dispostas a fazerem parte dessa grande transformação que a sociedade tanto necessita. Meu coração se emociona, meus olhos encontram o início de uma grande transformação e os meus braços desejam abraçar cada vez mais essa causa(…).”

Fotos: Reprodução Instagram | Foto de capa: Rebellé Fleur via Unsplash

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Font Resize